logo
  • GlobalGeo Top Banner-04092014

 


Dos objetivos del 'dumping' del precio del petróleo

A Arábia Saudita está destruindo o mercado de petróleo ao vender 11,8 milhões de barris (2 milhões a mais que sua cota) a um preço de 50-60 dólares o barril. (Nazanín Armanian, Other News en Español)

Na era do petróleo barato

Uma nova era de reservas de energia abundantes e baratas está redesenhando o panorama geopolítico do mundo, enfraquecendo e potencialmente ameaçando a legitimidade de alguns governos ao mesmo tempo em que aumenta o poder de outros.

Identificando sweetspots através de medições de gás Hélio

A relação do gás Hélio com a presença de hidrocarbonetos, apesar de não muito difundida no mundo, tem sido bastante estudada por pesquisadores russos há aproximadamente seis décadas.

Ouro negro?

Ao contrário do que apregoam, o petróleo não é o nosso 'passaporte para o futuro'. No Brasil, estamos apostando o futuro, no século XXI, na energia do século XX. Por David Zylbersztajn

Millones para la Vaca Muerta

Acaba de ser aprovada lei pelo Congresso argentino que permite salto enorme na produção de petróleo e gás a partir de fontes não convencionais, mais conhecidas como as reservas de xisto. (Celso Ming)

Brasil não está imune a sismos catastróficos

Estudo do pesquisador e professor Alberto Veloso (Instituto de Geociências - UnB) revela que o maior terremoto conhecido no Brasil teve epicentro na margem esquerda do rio Amazonas, aproximadamente a 45km abaixo de Manaus.

Mudanças à vista

Marco regulatório em discussão no Congresso prevê forte intervenção estatal no setor. Indefinição trava alvarás de lavras e novas plantas de extração. Mineradores falam em insegurança jurídica. Goiás pode ser novo "vale do silício".

Petrobras precisa concentrar esforços no pré-sal

Para explorar e desenvolver essas áreas, a petroleira tem que cumprir os contratos assinados com a ANP, que preveem investimentos altos, os quais compõem boa parte do orçamento da estatal, de R$ 220,6 bilhões, até 2018. (Artigo de Aroldo Lima)

A mineração na ótica dos presidenciáveis

Thiago Schwinke Vidal, da Queiróz Assessoria Parlamentar e Sindical, faz uma breve análise daquelas que poderão ser as linhas de atuação dos três principais candidatos à Presidência da República para o setor mineral, e em particular no que tange ao Novo Código de Mineração.

México, novo Brasil do petróleo?

Para entender o impacto desta reforma energética, não só no México, mas também no Brasil, deve se antes conhecer a evolução histórica de ambos países petroleiros. (Artigo de Rodrigo Rueda Terrazas, engenheiro de petróleo da SPE.)

Ciclo hidrológico amazônico 'presta serviço' ao Brasil e ao mundo

O Sistema Aquífero Grande Amazônia - SAGA chama a atenção como mais uma curiosidade amazônica, grandiosa na sua dimensão física, mas mais importante ainda, na sua perspectiva sócio-econômica-ambiental. (Artigo do Prof. Dr. Francisco de Assis Matos de Abreu (FaGEO/IG/UFPA) exclusivo para o Geofísica Brasil)

Islândia: A pequena notável

A Islândia surpreende pelo número de belezas naturais e de exemplos geológicos difíceis de serem suplantados por outras áreas de igual tamanho geográfico. (Artigo de Alberto Veloso para o Correio Braziliense)

É preciso tirar a Petrobrás do palanque

A marca dos 500 mil b/d do petróleo do pré-sal já poderia ter sido alcançada e até mesmo superada caso se tivesse dado continuidade aos leilões de áreas exploratórias, escreve Adriano Pires, diretor do CBIE, em artigo no Estado de S. Paulo. (Petrobras esclarece no final)

Mitos sobre a privatização em que você provavelmente acredita

O Brasil tem as maiores jazidas de nióbio do planeta, incríveis 98% das reservas do mundo. Esse metal valiosíssimo, sem o qual a indústria aeroespacial jamais existiria, tem, porém, seu preço ditado pelos ingleses e é contrabandeado massivamente para fora do país.

As incertezas do gás de xisto

A Faep entende que é necessário, sim, um amplo debate com especialistas em prospecção geológica e ambiental, sem radicalismo, para esclarecer tecnicamente os prós e contras da exploração do gás de xisto.

Por um plano plurianual de licitação de petróleo e gás

É coisa consagrada que o setor de petróleo exige desenvolvimento contínuo e sustentado, que só se alcança pela influência branda mas eficaz da previsibilidade. Artigo de Marcos Cintra, no Valor Econômico.

Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca

A terra pertence ao futuro, que o clima prove isso! Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca, 17 de junho de 2014

Avaliação da 12ª Rodada de Licitações da ANP

O desinteresse das companhias já era esperado, pela fraca demanda verificada na qualificação prévia requerida pelo Edital e à proximidade com a licitação anterior. Há inúmeras razões para isso. (Artigo de Wagner Freire)

O mercado do ouro: do caos aos fractais

Provavelmente, gerentes e geólogos de exploração, além de tantos outros profissionais ligados à prospecção de ouro devem estar agora à beira do colapso... (Artigo do geólogo de exploração Rodrigo Salles)

'Business developers' em alta no Brasil

Cresce a demanda do mercado de Óleo e Gás brasileiro para os gerentes de desenvolvimento de negócios. Artigo de Alexandre Nascimento (Recruitment Team Leader da consultoria Aldelia Internacional)

Euforia, desânimo e esperança em solo potiguar

No final dos anos 1960 já estava provado que existia petróleo no oeste potiguar e na região costeira norte do Estado. Entretanto havia um problema: a produtividade dos poços era pequena, o que indicava perspectivas antieconômicas. (Artigo de Tomislav R. Femenick para a Tribuna do Norte)

Uma história do petróleo potiguar

 

O exercício da memória me leva ao tempo em que eu morava em Mossoró e era correspondente dos jornais.... (Artigo de Tomislav R. Femenick especial para a Tribuna do Norte.)

Por um meio ambiente inteiro

A geodiversidade como novo caminho para uma Educação Ambiental completa. (Artigo de Marcos Antonio Leite do Nascimento, para a Revista Geografia, por ocasião do Dia da Terra.)

Flexibilização do monopólio do Urânio

Como detentor da sétima maior reserva de urânio do mundo, o Brasil não explora este potencial, enquanto países como Canadá, Austrália, Nigéria, Cazaquistão, Rússia e Namíbia respondem por 85% da produção global.

Água em estado crítico

 Há grande diferença entre a situação hídrica de paulistas e fluminenses: São Paulo dispõe de alternativas, e o Rio de Janeiro só tem o Paraíba do Sul. Artigo de Marilene Ramos publicado em O Globo.


Últimas notícias

As mais lidas