logo

 

Enquete

Gás de Folhelho

Vamos ter uma revolução do gás de folhelho no Brasil?

» Go to poll »
1 Votes left

jVS by www.joomess.de.

Mídias Sociais

FacebookTwitterLinkedin

"Mineração é atividade sustentável", defende IBRAM na Rio+20

"Mineração é atividade sustentável", defende IBRAM na Rio+20

O Diretor-Presidente do IBRAM - Instituto Brasileiro de Mineração (www.ibram.org.br), José Fernando Coura, foi enfático em plena Rio+20 ao afirmar que a mineração é uma atividade sustentável, embora esteja relacionada a bens não renováveis. "Já se fala em novas safras de minérios", disse ao referir-se ao fato de que novas tecnologias permitem extrair bens minerais de antigos rejeitos da atividade mineral.

Além disso, acrescentou que áreas mineradas podem ser recuperadas, inclusive em seus aspectos ambientais, e ainda podem ganhar novas destinações para usufruto da sociedade, ou seja, minas que após o fechamento podem ser transformadas em parques, área urbana para moradia ou uso comercial etc.

O Brasil, segundo Fernando Coura, tem uma mineração moderna e demonstra, com isso, sua capacidade plena de transformar os recursos naturais, que são os minérios inertes do subsolo, em riquezas e bens de consumo para a sociedade.

Fernando Coura participou do Encontro da Indústria para a Sustentabilidade, organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e que reuniu 800 empresários, no Hotel Sofitel, em Copacabana. O dirigente do IBRAM foi um dos debatedores da Sessão 2 do evento, que abordou o tema "Uso sustentável dos recursos naturais", acompanhado dos dirigentes de entidades do setor elétrico, do cimenteiro, do alumínio, do aço e de petróleo e gás.

O Dirigente disse que a indústria mineral tem condições de fornecer "100% das matérias-primas minerais necessárias para o País construir sua infraestrutura, mas é preciso que haja condições plenas de se fazer os investimentos necessários para tal", em uma crítica à burocracia do licenciamento ambiental, entre outros fatores que compõem o Custo Brasil.

Fernando Coura anunciou na Rio+20 que o setor mineral investirá US$ 75 bilhões no Brasil entre 2012 e 2016, mas identifica gargalos, como na pesquisa geológica, necessária para identificar novas jazidas. "O Brasil perde em investimentos nessa área para vários países, aqui mesmo na América Latina, como Peru e Colômbia", afirmou.

Aos críticos da atividade minerária, o Diretor-Presidente do IBRAM informou que no maior estado minerador do Brasil, que é Minas Gerais, a indústria de mineração ocupa apenas 0,45% do território estadual. "É uma informação que, eu espero, colabore para esclarecer os que ainda têm uma visão um tanto deturpada de nosso setor", informou, acrescentando que as exportações dos excedentes de minérios são responsáveis por grande parte do saldo positivo da balança comercial brasileira.

Simineral - 14/06/2012

Últimas notícias

As mais lidas