Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

UFPA forma primeiro mestre em Geofísica Forense

A defesa de tese do primeiro mestre em Geofísica Forense do Brasil aconteceu em março na Universidade Federal do Pará. O professor de física Waldemir Gonçalves Nascimento se especializou no uso do GPR (ou georadar) e do método eletromagnético slingram, técnicas modernas de investigação de subsuperfície, chão e paredes para descoberta de cadáveres, túneis e armas enterradas.

Segundo a Profa. Lucia Maria da Costa e Silva, orientadora da tese, esse e outros trabalhos sobre investigação forense geraram a implantação do primeiro campo de testes geofísicos controlados para prática forense, ambiental e resgate de vítimas de soterramentos do país, o FORAMB, pela UFPA.

O grupo foi responsável também pela recente defesa do Trabalho de Conclusão do Curso de Graduação em Geofísica de Anderson Antonio Santiago da Costa, envolvendo outros dois alunos de mestrado.

“Podemos cooperar com a Polícia Civil utilizando a Geofísica Forense como ferramenta que pode ajudar a desvendar alguns casos em que a ciência se aplica,” afirmou a professora, acrescentando que chegou ao seu conhecimento um caso ainda não concluído que depende da localização de um cadáver supostamente enterrado e até agora não descoberto em um município da Grande Belém.

Segundo Lucia Costa e Silva, a equipe da UFPA quer visitar a área para tentar colaborar com a investigação. Um dos objetivos do grupo é desenvolver um projeto de mestrado a partir de um caso forense real, ilustrando a aplicação da Geofísica.

“A melhor tática para divulgar a Geofísica, ganhar espaco no mercado de trabalho e driblar uma possível crise no setor é diversificar o uso da Geofísica. A Geofísica Forense, Antropológica e de Resgate já sao usadas com sucesso em vários países", complementou. 

Comente este artigo


Código de segurança
Atualizar