Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

O matemático Luiz Augusto Barroso será o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), após aceitar convite do ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, para compor o time de gestores das secretarias do MME e dos órgãos vinculados. Também foram confirmados nesta segunda-feira (30/05) os nomes dos secretários de Energia Elétrica, de Planejamento e Desenvolvimento Energético, e de Geologia e Mineração do MME: Fábio Lopes Alves, Eduardo Azevedo e Vicente Lôbo, respectivamente. Para a Secretaria-Executiva, já havia sido confirmado Paulo Pedrosa, que está se descompatibilizando de atividades anteriores para formalmente integrar a equipe de Coelho Filho.

Na EPE, Barroso terá como missão buscar um reposicionamento da entidade para além da sua atuação já consolidada, com importante papel nos leilões de energia e pesquisas, se tornando um espaço destinado a pensar de forma estratégica o Setor Energético, trazendo para o Brasil o conhecimento de ponta gerado internacionalmente sobre o tema.

“Agradeço enormemente ao Barroso, que entendeu nossa proposta de construir um ambiente setorial propício aos investimentos, alinhada com a visão do presidente interino Michel Temer, de promover a reinstitucionalização do país. Com sua expertise e experiência, Barroso ajudará no reerguimento e dinamização do setor com base em credibilidade, transparência, independência e eficiência”, afirmou Fernando Coelho Filho.

O ministro agradeceu o engajamento dos novos secretários e de Barroso ao aceitarem o convite para compor o secretariado do MME e o time de gestores dos órgãos vinculados ao Ministério. Coelho Filho agradeceu também o apoio que vem recebendo de técnicos do setor com quem tem conversado e das entidades e associações do setor energético, que vêm oferecendo sua visão e contribuindo com o debate de mão dupla sobre as propostas, para criação de uma nova base no setor, calcada na meritocracia e em princípios sólidos, com aperfeiçoamento da governança.

“Dependemos de todos, inclusive de fora do governo, nessa visão de que podemos aprimorar o setor. Isso depende de todos, com mais eficiência, competência, para ajudarmos a trazer resultados para a economia do país”, destacou Coelho Filho.

O futuro presidente da EPE vai preparar sua transição para ocupar o cargo, interrompendo atividades privadas e consultorias internacionais. Em respeito às pessoas e à instituição, o ministro Fernando Coelho Filho solicitou que a direção atual da EPE permaneça no cargo, preparando um processo de transição seguro.

Veja abaixo os currículos resumidos:

Luiz Augusto Barroso (Presidente da EPE)

Luiz Barroso é matemático, com doutorado em matemática aplicada (otimização) ao setor elétrico. Atualmente, é diretor executivo da PSR, consultoria na qual atua há cerca de 18 anos, liderando estudos de planejamento, regulação, finanças, gestão de riscos e comercialização de energia no Brasil e em mais de 30 países.

O futuro presidente da EPE possui uma forte atuação acadêmica: é pesquisador associado do Instituto de Investigación Tecnológica da Universidad Pontificia Comillas na Espanha, leciona na Escola de Regulação de Florença e foi professor visitante de diversas universidades no mundo, incluindo o MIT.

Fábio Lopes Alves (Secretário de Energia Elétrica do MME)

Fábio Lopes Alves tem formação em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com especialização em Engenharia de Produção pela mesma universidade.

Alves tem quase 30 anos em cargos de gestão no setor elétrico. Entre 1996 e 1998, ele foi diretor-presidente da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). Anteriormente, o novo secretário de Energia Elétrica do MME ocupou o cargo de Chefe de Gabinete da Presidência da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), em 2003.  Sua posição mais recente no setor foi a de diretor administrativo-financeiro na Transnorte Energia S. A. (TNE), cargo que ocupou desde 2014.

Eduardo Azevedo (Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do MME)

Eduardo Azevedo é formado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Mestre em Engenharia de Produção pela mesma instituição e pós-graduado em Comercialização de Energia pela Universidade de Pernambuco (UPE). O novo secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético já participou como consultor em projetos do MME, em parceria com o PNUD, para a implantação do Sistema Nacional de Informações Energética (SNIE), entre 2002 e 2003.

Entre 2010 e 2016, ocupou o cargo de Secretário Executivo de Energia do Governo de Pernambuco, onde foi responsável pela realização do primeiro leilão estadual de energia elétrica de fonte solar fotovoltaica no Brasil, que viabilizou a instalação do primeiro complexo no país. Desde 2013, Azevedo é o de vice-presidente de Energias Renováveis do Fórum Nacional de Secretários Estaduais de Minas e Energia.

Vicente Lôbo (Secretário de Geologia e Mineração do MME)

Vicente Lobo é formado em Engenharia de Mineração (Universidade Federal de Minas Gerais) com MBA em Administração de Empresas (FGV).

O novo secretário de Geologia e Mineração do MME foi diretor Industrial de unidades da Vale, entre 2010 e 2015,  e diretor Industrial na Bunge Ltda, entre 2003 e 2010, com atuação no setor mineral desde 1986. Em sua atuação na Vale, Lôbo era responsável pela direção das atividades de desenvolvimento de processos químicos, bem como pela operação das minas e da manufatura de fosfato em diversas unidades da empresa.

Ministério de Minas e Energia - 30/05/2016 - Assessoria de Comunicação Social

Comente este artigo


Código de segurança
Atualizar