Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

 O site Gisgeography elaborou uma lista com 1000 aplicações em mais de 50 diferentes indústrias para mostrar como o sistema de informações geográficas (SIG) está mudando o mundo.

gisgeography 1000 gis apps uses

Potencialize seus dados com estas 1000 aplicações e usos de SIG.

Lutando para encontrar projetos de SIG para você ou seus alunos? Leia a lista.

Paralisado quando alguém pergunta o que o SIG pode realmente fazer? Leia a lista.

Procurando diversificar o seu negócio e serviços? Leia a lista.

Um ano na construção desta lista, veja algumas das suas aplicações favoritas de SIG que você não ouviu falar ainda:

Ideias de projetos para estudantes, estudos de caso, projectos, o SIG utiliza tudo isso e muito mais.

De mais de 50 indústrias, este guia abarrotado de 1000 aplicações SIG irá abrir sua mente para nosso incrível planeta e sua inter-conectividade.

Baixe o arquivo PDF aqui ou leia a lista diretamente no site GisGeograpy.

Saiba mais sobre SIG

O Sistema de Informações Geográficas – SIG é um conjunto de sistemas de softwares e hardwares capazes de produzir, armazenar, processar, analisar e representar inúmeras informações sobre o espaço geográfico, tendo como produto final mapas temáticos, imagens de satélites, cartas topográficas, gráficos e tabelas. Esses produtos são importantes para a análise de evoluções espaciais e temporais de um fenômeno geográfico e as inter-relações entre diferentes fenômenos espaciais.

Uma das principais aplicações do SIG é no planejamento e ordenamento territorial, como o planejamento urbano de uma cidade, o planejamento ambiental, citando como exemplo o controle e o monitoramento do desmatamento na Amazônia.

O SIG é uma ferramenta que vem sendo utilizada cada vez mais pelos órgãos públicos e privados, pois permitem a maximização de informações coletadas. O último Censo, de 2010, realizado pelo IBGE utilizou-se do SIG para a coleta, armazenamento e tratamento dos dados colhidos.

Exemplos de SIG são: Geoprocessamento, Sensoriamento Remoto e o GPS. Cada uma dessas três ferramentas tem uma função específica.

O Sensoriamento Remoto é um conjunto de técnicas utilizado para a captação de imagens por meio de sensores de satélites, acoplados de equipamentos fotográficos e scanners.  É uma técnica que permite obter informações de um determinado objeto sem entrar em contato físico com ele.

O GPS é o Sistema de Posicionamento Global (sigla derivada do inglês Global Positioning System), um instrumento que permite a localização de uma pessoa ou um objeto espacial a partir de suas coordenadas geográficas, latitude e longitude. Atualmente, vem sendo utilizado em diversos setores econômicos, como na agricultura e no rastreamento de carga de veículos. Com os problemas de trânsito enfrentados nas grandes cidades, vem se tornando um item indispensável para navegação e orientação aos motoristas de carro.

O Geoprocessamento é a técnica de coleta e processamento de dados espaciais. Esse processo envolve informações coletadas tanto pelo Sensoriamento Remoto quanto pelo GPS.

Geofísica Brasil - com informações de Regis Rodrigues de Almeida (em Mundo Educação)

Comente este artigo


Código de segurança
Atualizar