Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

coppe supercomputador lobo carneiro

Com uma operação remota e sem precisar de técnicos, o sistema não tem precedentes no país. [Imagem: UFRJ]

Eficiência e remoto

A Coppe/UFRJ inaugurou o supercomputador Lobo Carneiro, o mais potente instalado em uma universidade federal do país. Com capacidade de 226 teraflops, ele pode executar 226 trilhões de operações matemáticas por segundo.

Algumas das vantagens do supercomputador são eficiência energética e operação remota, que permitem que o equipamento prescinda do acompanhamento presencial 24 horas por dia, como é a regra para os demais computadores de alto desempenho em atividade no Brasil.

O sistema de engenharia, concebido exclusivamente para este supercomputador, foi montado pelos pesquisadores da Coppe em parceria com técnicos da startup brasileira Versatus HPC e Silicon Graphics International(consórcio vencedor da licitação).

"A relação capacidade computacional e eficiência energética do Lobo Carneiro é muito boa. O sistema foi concebido para preservar ao máximo a vida útil do equipamento e a operação pode ser feita remotamente, de forma segura, com autocontrole e redundância. Esse modelo de sistema de engenharia não tem precedentes no país", ressaltou o professor Guilherme Travassos.

O supercomputador terá seu uso compartilhado por pesquisadores da Coppe, de outras unidades da UFRJ, centros de pesquisa de instituições e empresas, públicas e privadas. "A preservação do sistema e a eficiência energética, requisitos que foram exigidos pela Coppe na licitação, vão ao encontro da responsabilidade pelo investimento público", ressalta o diretor da Coppe, Edson Watanabe.

O nome do supercomputador é uma homenagem ao professor Fernando Lobo Carneiro (1913-2001), responsável pela implantação da pós-graduação em engenharia civil no Brasil.

Supercomputador sem pessoas

O sistema de engenharia montado para o Lobo Carneiro permitiu dispensar o acompanhamento presencial, uma instalação inédita do ponto de vista do controle e da automação.

"O padrão é que haja ao menos um profissional presente no centro de operação de um supercomputador. Mas o Nacad - datacentro da Coppe -, é completamente diferente. Ele é remoto, não tem pessoal técnico e dispensa a redundância de equipamentos, que só seriam usados na falha dos equipamentos 'titulares'. Nessa configuração não é necessário ter geradores, aparelhos de ar condicionado e no-breaks extras. Qualquer possível falha, o equipamento desliga sozinho e se preserva", explicou Marcelo Pinheiro, da Versatus.

Para isso foi necessário um alto nível de automação, com o sistema de refrigeração e de no-breaks "dialogando" com o computador. "O desligamento é preparado para ocorrer em temperaturas confortáveis, de forma que o equipamento não seja exposto a situações críticas. Há múltiplas camadas de proteção. Também há pontos de checagem para a recuperação dos trabalhos, quando ocorrer esse desligamento", afirma Marcelo.

Duas vezes e meia mais potente e com maior eficiência energética do que osupercomputador adquirido anteriormente pela Coppe, o Galileu, o supercomputador Lobo Carneiro consumirá 1/3 do consumo da máquina anterior.

Inovação Tecnológica -  15/07/2016 - Com informações da Coppe

Comente este artigo


Código de segurança
Atualizar