Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Em contagem regressiva para a 14ª rodada de licitações para os 287 blocos de exploração, em setembro, empresas de Óleo e Gás de diversos portes voltaram a aquecer o mercado na expectativa da retomada dos investimentos nos próximos meses. Prova disso é o resultado da 9ª Rodada de Negócios da Brasil Offshore 2017, maior feira do segmento no país, realizada na semana passada (20 a 23 de junho), em Macaé.

Em dois dias de negociações, a Rodada de Negócios gerou investimentos acima dos R$ 140 milhões. Para Bruno Musso, Diretor Geral da ONIP, os resultados foram bastantes significativos. “Não esperávamos para o momento este volume em expectativas de negócios”.

Até o final da feira estão previstos mais R$30 milhões em negócios e a estimativa de geração de R$70 milhões de investimentos para os próximos meses. “Trouxemos mais que negócios a região. Trouxemos esperança e entusiasmo ao setor”, analisa Daniel Pereira, gerente da Brasil Offshore.

As rodadas de negócios foram realizadas por três instituições especializadas em aproximar compradores e vendedores: a Organização Nacional da Indústria do Petróleo (ONIP), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio de Janeiro (SEBRAE-RJ) e a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN), com o apoio da Reed Exhibition, organizadora da feira.

Feira reúne inovações para o setor de óleo e gás

A Brasil Offshore aposta no crescimento, inovação e renovação do mercado. Por isso, durante a feira, expositores e compradores qualificados tiveram acesso a novas tecnologias que estão sendo desenvolvidas por futuros profissionais do mercado de óleo e gás. No estande do projeto #Inovareaprender, em prática desde 2014, estudantes de robótica da rede municipal de ensino de Macaé apresentaram soluções que chamaram a atenção dos compradores.

“Projetamos soluções que podem ser utilizadas no mercado de Óleo e Gás. Alguns exemplos são o robô que pode ser acionado em caso de resgates e incêndios nas plataformas e um sensor que detecta o que tem ao redor do profissional, evitando acidentes”, conta Tulio Fogagnoli, de 16 anos, sobre os protótipos que estão atraindo os olhares das empresas. A expectativa é que as ferramentas sejam produzidas em larga escala.

A Brasil Offshore foi realizada no Centro de Convenções Roberto Marinho em Macaé (RJ), entre os dias 20 e 23 de junho. 

Comente este artigo


Código de segurança
Atualizar