Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

A cerimônia de entrega do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica, edição 2017, foi realizada no Palácio do Itamaraty, no Rio de Janeiro, no dia 31 de agosto. Este ano, nas três categorias do Prêmio, concorreram 52 projetos, de universidades, de empresas petrolíferas e de fornecedoras de bens e serviços. A avaliação dos vencedores foi feita com base nos critérios de originalidade, aplicabilidade e funcionalidade da tecnologia, contribuição científica e tecnológica.

anp premio inovacao tecnologica 2017

Na abertura do evento, o diretor-geral da ANP, Décio Oddone, destacou que as inovações tecnológicas têm cada vez maior importância na retomada do setor de petróleo e gás no Brasil: "Temos um calendário de rodadas, que trarão resultados a longo prazo. No curto prazo, precisamos trabalhar com os contratos existentes. Por isso, a ANP vem tomando uma série de medidas para destravar investimentos. Nessas duas frentes, nas rodadas e nos contratos atuais, precisamos da ajuda da comunidade de inovação, ciência e tecnologia", afirmou.

O Prêmio ANP de Inovação Tecnológica tem como objetivo o reconhecimento do esforço, individual ou conjunto, de instituição de pesquisa e desenvolvimento credenciada pela ANP, empresa petrolífera e empresa brasileira que tenham desenvolvido bens e/ou serviços inovadores para a cadeia produtiva do setor de petróleo, gás natural e biocombustíveis, já inseridos ou com alto potencial de inserção no mercado e que tenham sido financiados com pelo menos 20% de recursos da Cláusula de P,D&I presente nos contratos para exploração e produção de petróleo e gás natural.

No período de 1998 até o primeiro semestre de 2017, o valor total acumulado de obrigações geradas para investimentos na cláusula de PD&I foi de mais de R$ 12,6 bilhões. De 1998 até o primeiro semestre de 2017, foram contratados ou iniciados mais de 10 mil projetos de pesquisa e desenvolvimento tecnológico com recursos oriundos da cláusula. Considerando-se os projetos que necessitam de autorização prévia, conforme regulamento, de novembro de 2005 a junho de 2017, foram autorizados 1.462 projetos, com o valor total de R$ 4,7 bilhões em autorizações. Desses projetos, cerca de 80% se referem à infraestrutura laboratorial, com valor total autorizado de R$ 2,3 bilhões de reais.

Atualmente, um total de 738 unidades de pesquisa encontram-se credenciadas em todo o país, aptas a receberem investimentos com recursos da cláusula de PD&I, com uma abrangência de 3.307 linhas de pesquisa.

VENCEDORES E FINALISTAS DAS TRÊS CATEGORIAS

Categoria I - Inovação tecnológica desenvolvida no Brasil por instituição credenciada pela ANP em colaboração com empresa petrolífera.

VENCEDOR 

DORIS - Sistema Robótico Móvel para Inspeção Remota de Instalações Offshore

Empresa petrolífera: Petrobras e Statoil

Instituição credenciada: UFRJ

Resumo: O objetivo deste projeto é desenvolver tecnologias essenciais para a supervisão remota, diagnóstico e aquisição de dados destinados a instalações offshore. O sistema proposto é composto por um robô móvel capaz de transportar diferentes sensores através do ambiente inspecionado, que, em conjunto com algoritmos de processamento de sinais, são responsáveis pela análise de dados e identificação de anomalias.

FINALISTAS

Flat Fish

Empresa Petrolífera: Shell-BG

Instituição Credenciada: Senai

Resumo: O objetivo do projeto é desenvolver um veículo autônomo submarino capaz de residir no fundo do mar em uma estação de docagem. Este veículo submarino será capaz de realizar inspeções visuais em proximidade, reconstruindo em 3D os objetos observados.

Provador Ultrassônico de Corrosão (PROVUS)

Empresa Petrolífera: Petrobras

Instituição Credenciada: USP

Resumo: Desenvolvimento de um sistema não intrusivo de monitoramento de corrosão por ultrassom de altíssima sensibilidade denominado PROVUS (acrônimo para provador ultrassônico de corrosão) capaz de estimar a taxa de corrosão com grande precisão, e com versatilidade de emprego em cenários onshore e offshore.

Categoria II - Inovação tecnológica desenvolvida no Brasil por micro, pequena ou média empresa fornecedora brasileira do segmento de petróleo, gás natural e biocombustíveis em colaboração com empresa petrolífera

VENCEDOR:

Pilotos de Sistemas de Manutenção Preditiva do SSE

Empresa petrolífera: Petrobras

Instituição credenciada: UFRGS

Empresa fornecedora: Trisolutions

Resumo: Foi desenvolvida a Plataforma de Gerenciamento de Ativos (PGA), que possibilita o monitoramento histórico e em tempo real da eficiência e da condição dos ativos de um processo industrial. A PGA compreende todo um sistema flexível de aquisição, pré-tratamento, processamento e visualização de dados de processo e resultados de análises de produtos. Através deste software, equipes de produção e acompanhamento podem calcular a eficiência instantânea dos principais equipamentos e processos, realizando os ajustes necessários para otimizá-los.

FINALISTAS

Física de Rocha Digital Especial - Análise Digital de Rocha para Classificação de Qualidade de Reservatório: Coquinas do Morro do Chaves, Bacia Sergipe-Alagoas

Empresa Petrolífera: Shell-BG

Empresa fornecedora: Ingrain

Resumo: A pesquisa é voltada para a análise de propriedades faciológicas e petrofísicas da coquina (de mesma idade do Pré-Sal da Bacia de Santos) da Formação Morro do Chaves, Bacia Sergipe-Alagoas, através do imageamento por tomografia computadoriza de raios-X em alta resolução em 3-D de testemunhos e plugues desta formação geológica.

Métodos magnéticos para mitigação de incrustações inorgânicas em poços

Empresa Petrolífera: Petrobras

Instituição Credenciada: IPT, UFRJ e UFES

Empresa fornecedora: Hidromag e Magmax

Resumo: A tecnologia de equipamentos magnéticos para mitigação de incrustações inorgânicas é uma solução de alta atratividade para aplicações de fundo de poço e instalações de superfície. Alternativa à injeção de inibidores, traz inúmeras vantagens de custo, simplificação de configurações de poço e redução de impacto ambiental por eliminar ou minimizar a presença de produtos químicos. A proposta é influir na forma de cristalização, e consequentemente no grau de adesão dos cristais às paredes de tubulações e válvulas.

Categoria III - Inovação tecnológica desenvolvida no Brasil por empresa fornecedora brasileira de grande porte do segmento de petróleo, gás natural e biocombustíveis em colaboração com empresa petrolífera

VENCEDOR:

Otimização do Processo de Perfuração no Pré-sal

Empresa petrolífera: Petrobras

Empresa fornecedora: Schlumberger

Resumo: O principal objetivo do projeto é a redução do custo de construção de poços offshore na bacia de Santos. O escopo do projeto englobou: 1) Análise de causas para a baixa eficiência de perfuração. 2) Engenharia de sistemas de perfuração personalizadas (incluindo 3 novas brocas e 2 fluidos de perfuração). 3) Testes em escala real em laboratório. 4) Testes de campo na Bacia de Santos. A principal tecnologia que permitiu o desenvolvimento desse projeto foi o desenvolvimento do cortador de diamente cônico (CDE, sigla em inglês), que é uma nova tecnologia de cortador que possui maior resistência ao impacto e abrasão quando comparado aos cortadores PDC tradicionais. O projeto englobou o desenvolvimento de 5 protótipos de broca utilizando essa tecnologia.

FINALISTAS

Multi Sensor Inversion-MSI / Estimação radial de propriedades da formação a partir de dados eletromagnéticos e acústicos

Empresa Petrolífera: Shell-BG

Empresa fornecedora: Schlumberger

Resumo: Foi desenvolvida uma metodologia inovadora para a estimação de perfis radiais de propriedades elásticas e petrofísicas utilizando dados medidos através de ferramentas sensíveis a diferentes profundidades de investigação. Os perfis radiais são obtidos através de uma inversão conjunta das matrizes de velocidades acústicas, dados eletromagnéticos e curva de densidade combinados por meio da teoria de meio efetivo e equação empírica de Archie. Além da estimativa de porosidade e saturação de água para a formação, os perfis radiais permitem análise quantitativa da zona de alteração próxima ao poço, e essas informações podem auxiliar um especialista a caracterizar a formação e facilitar a diferenciação entre a presença de “vugs”, fraturas, e camadas inclinadas, por exemplo.

Otimização de olefinas leves e qualidade de combustíveis

Empresa Petrolífera: Petrobras

Empresa fornecedora: FCCSA

Resumo: O grande desafio dessa inovação é disponibilizar um produto que possa atender às elevadas demandas de propeno, também atuando como “booster” de octanagem da nafta craqueada, de modo a ser aplicado em teores que não causem esse efeito de diluição. O esforço deste trabalho de P&D resultou no lançamento do aditivo MAXZOOM ME, avanço mais recente em matéria de compromisso entre a alta atividade e seletividade a propeno, redução do efeito de diluição e excelentes características de resistência ao atrito LOI (Loss on Ignition - perda por ignição: Umidade).

Prêmio Personalidade Inovação 2017

A homenagem foi concedida a Carlos Tadeu da Costa Fraga, pela contribuição à pesquisa, ao desenvolvimento tecnológico e à inovação no setor energético brasileiro. Engenheiro civil graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Carlos Tadeu Fraga trabalhou na Petrobras entre 1981 e 2014, ocupando diversas posições, entre elas a Gerência-Executiva do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes) e a Gerência-Executiva de Exploração e Produção do Pré-sal. Atualmente, é vice-presidente de Projetos, Inovação e Desenvolvimento de Negócios da Empresa Granenergia.

Os outros dois indicados ao Prêmio Personalidade Inovação deste ano foram Marcelo Gattass, diretor do Instituto Tecgraf de Desenvolvimento de Software Técnico-Científico da PUC-Rio (Tecgraf/PUC-Rio), e Segen Farid Stefen, professor titular de Estruturas Oceânicas e Tecnologia Submarina da COPPE/UFRJ, tendo sido diretor-geral da COPPE/UFRJ (1998-2001) e diretor-superintendente da Fundação Coppetec (2009-2013).

Menção Honrosa do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica

Este ano, além das três categorias de projetos e da personalidade inovação, a ANP fez uma homenagem póstuma, concedendo uma menção honrosa ao engenheiro metalúrgico e mestre em Engenharia de Minas, Metalurgia e de Materiais Telmo Roberto Strohaecker, que foi professor titular da Universidade Federal do Rio Grande do SUL (UFRGS), onde coordenou o Laboratório de Metalurgia Física e a criação de laboratórios de pesquisa em diferentes técnicas metalúrgicas.

Mais informações sobre o Prêmio ANP de Inovação Tecnológica 2017 estão disponíveis neste link. 

Comente este artigo


Código de segurança
Atualizar